LIVROS ENTRE OS PEQUENOS

Postado em 28 de janeiro de 2017 por Seja o primeiro a comentar

(Por Edson Pazel)

A infância é vista como o tempo das descobertas, quando nossos primeiros passos nos levam a ir descobrindo o mundo a nossa volta. Nesse momento começamos a ser ensinados, seja por nossos pais, seja quando entramos na escola, por nossos professores; que atuarão, diferentemente de nossos pais, como pessoas que mostrarão uma perspectiva mais profunda do mundo através de matérias ele conhecimento que eles nos transmitiram. Para isso eles usaram várias ferramentas, sendo os livros uma das mais importantes.

Mas como fazer com que a criança compreenda o livro como ferramenta necessária ao seu aprendizado ao longo de todas as suas vidas? Uma possível forma seria mostrar a beleza e o poder dos livros para nosso desenvolvimento e conhecimento. Um dos meios para isso é dar às crianças livros que façam-nas enxergar a beleza grandiosa das palavras e todo o poder delas, que nos prendem em suas teias de curiosidade e sabedoria.

No caso das crianças, os livros de Literatura Infantil seriam a primeira opção para se trazer aos olhos delas a ideia da beleza e do poder da escrita. Isso porque os livros literários motivam a imaginação pelo universo das palavras, com alegria e prazer, ou seja, são um pontapé para que, no futuro, elas se deixem seduzir cada vez mais por essa forma de escrever.

Eu vejo o livro literário como um auxílio para as crianças observarem a força das palavras e o poder delas em cativar e leva-las a lerem, ingredientes  necessários para a formação de um leitor competente e crítico. Além do mais, algumas obras de maneira indireta e fantasiosa não deixam de expor problemas da realidade. Exemplos seriam obras como “Chapeuzinho vermelho”, e “João e Maria”, que tratam dos perigos que pode haver quando crianças ficam sozinhas na floresta (a floresta é a representação do próprio mundo ao redor) podendo levar a serem enganadas e pegas por uma bruxa, como em “João e Maria”, ou surpreendidas por um lobo mal, como em “Chapeuzinho vermelho” (vilões que representam o próprio mal e perigos que se podem achar quando sozinhos pelo mundo).

Por isso a fantasia na literatura não é um perda de tempo, ao contrário, é mais artifício para ensinar e chamar a curiosidade dos leitores, principalmente os mais novos, como as crianças, para a importância de ler. Ler a fantasia, s aventura, o mistério e outras tantas outras coisas… a que somente através leitura, quando sentados e relaxados, temos acesso.

Por isso não esqueçam: Livros entre os pequenos indicam é possibilidades, desenvolvimento e melhorias de saberes e visões do próprio mundo!

 Livros entre os pequenos

Acima a imagem de uma criança, um jovem menino, lendo livros infantis (cuja montagem da imagem foi feita por mim). As versões são de editoras brasileiras, de clássicos da literatura infantil. Pela editora Brasileitura, temos as versões de: “Branca de neve”, compilado pelos irmãos Grimm, entre 1812 e 1822; “A Bela adormecida”, publicada pelos irmãos Grimm em 1812; “Chapeuzinho vermelho”, publicado primeiramente pelo francês Charles Perrault e depois pelos irmãos Grimm; “Os três porquinhos”, divulgado pelo australiano Joseph Jacobs, em 1853; “A bela e a Fera”, escrito pela francesa Gabrielle-Suzanne Barbot, Dama de Villeneuve, em 1740; “Cinderela”, de versão mais conhecida a de Charles Perrault, em 1697; “Rapunzel”, publicado primeiramente pelos irmãos Grimm, em 1812. Pela editora Zahar: “Peter Pan”, utilizado pelo britânico J.M Barrie para uma peça de teatro chamada “Peter e Wendy”, em 1911, mas que apareceu antes no livro “O pequeno pássaro branco”, de Sylvia Davies, em 1902. Pela editora Rideel: “O Gato de Botas”, de autoria de Charles Perrault, em 1967. Da editora Todolivro: “João e Maria”, também coletados pelos irmãos Grimm; “João e o pé de feijão”, cuja versão mais antiga é de Benjamim Tabart, em 1807, e depois popularizada por Joseph Jacobs, em 1890; “Alice no País das Maravilhas”, publicado pelo britânico Charles Lutwidge Dodgson, com o pseudônimo Lewis Carroll, em 1865. Ficam essas obras como dicas de leitura, uma vez que formam a base para se compreender mais e melhor a grandiosidade da Literatura Infantil e sua força em chamar atenção dos pequenos leitores, através de aventuras e emoções.

Boas LEITURINHAS!

Categoria : ENTRELINHAS
  • twitter
  • facebook
  • linkedin
  • delicious
  • digg

Sobre admin

Deixe um comentário